Brasil, SP, , , |

Ajude a FCCC a combater os fenômenos do Sul e Sudeste. Para ajudar nas operações da Fundação nesses locais, você pode colaborar de duas formas:

CLIMA

Portal FCCC

Fundação Cacique Cobra Coral foi convocada para prevenir chuvas do Rio na virada

Direto de Copacabana

Rio de Janeiro, 31 de dezembro de 2015
Fundação Cacique Cobra Coral foi convocada para prevenir chuvas do Rio na virada
Cristo Redentor no Réveillon 2020. Foto: Fernando Maia / Riotur

Para evitar que a chuva e o vento atrapalhe a festa de Réveillon do Rio de Janeiro, como ocorreu ontem(30), quando ventos acima de 105 km chegaram provocar o fechamento da ponte Rio Niterói, a prefeitura acionou os serviços da Fundação Cacique Cobra Coral, que trabalha intervindo nos desequilíbrios naturais. O porta-voz da fundação, Osmar Santos, disse que a parceria faz parte de um convênio operacional entre as partes.

De acordo com ele, a operação que está sendo efetuada no Rio de Janeiro tem finalidades que ultrapassam uma virada do ano sem surpresas. Osmar explicou que o grupo vem atuando desde o final de setembro para Antecipar o Período chuvoso na Primavera para levar as chuvas para SP (Vale do Paraíba) e Sul de MG onde estão as nascentes do rio Paraíba do Sul, o Sistema Cantareira e Furnas, que que estavam à beira de um um racionamento de energia e Água por falta de chuvas nas usinas e represas. “Outra região que esta sendo beneficiada é Mariana e o rio Doce, castigados por um desastre ambiental recentemente, comenta.

O porta-voz disse também que às 22h05 desta quarta -feira, o Alerta Rio, da Defesa Civil, cancelou o Estado de Atenção que estava sobre toda a cidade e retomou o Estado de Vigilância. Segundo ele, isso aconteceu porque com a dissipação das chuvas para os mananciais não há mais condição para chuvas intensas. Para madrugada desta quinta-feira (31/12) onde a previsão é de céu nublado passando a parcialmente nublado, sem ocorrência de chuva.

O porta-voz contou ainda que a operação vai servir para minimizar os efeitos do verão de 2016 “que promete”.

“Na natureza, nada se cria, tudo se transforma, mas o que conta são os interesses difusos (coletivos) que através dos governos conveniados estão acima dos individuais, privados”, finalizou.

Compartilhar: