Brasil, SP, , , |

Ajude a FCCC a combater os fenômenos do Sul e Sudeste. Para ajudar nas operações da Fundação nesses locais, você pode colaborar de duas formas:

Artigos, Clima no Brasil

G1 Vale do Paraíba e Região

Bacia do Paraíba do Sul dobra volume de água em um mês

Volume subiu de 8,1% para 16,7% da capacidade em dezembro

São Paulo, 25 de dezembro de 2015
Bacia do Paraíba do Sul dobra volume de água em um mês
Represa de Santa Branc compõe a Bacia do Paraíba (Foto: Reprodução/TV Vanguarda)

O nível das quatro represas que formam a bacia do Rio Paraíba do Sul estão com o dobro do volume de água no comparativo com o mês passado. Na última quarta-feira (23) as represas operavam com 16,7% da capacidade e, no dia 23 de novembro, registravam 8,1%.
A informação é da Agência Nacional de Águas (ANA). As represas que compõem o reservatório são Santa Branca, Jaguari e Paraibuna, em São Paulo; e Funil, no Rio de Janeiro.
A chuva acumulada na bacia em novembro é de 214,9 milímetros e o previsto para esse mês é de 219,4 milímetros, segundo a Sabesp.
Cantareira
O Sistema Cantareira, que abastece São Paulo e a Grande São Paulo, está próximo de sair do volume morto e voltar ao volume útil. O nível está 1,6% negativo e, há um mês, estava com a capacidade negativa em 10,4%.
Desde julho do ano passado o volume morto está sendo usado no sistema Cantareira. Se continuar chovendo neste ritmo, é provável que o sistema Cantareira saia do colume morto ainda neste ano. A previsão inicial era que o sistema só sairia do volume morto em abril de 2016.

PS: Balanço de primavera:
O Sistema Cantareira teve o dobro de chuva nesta primavera em relação à mesma estação do ano de 2014, segundo levantamento do G1 feito com base nos dados divulgados diariamente pela Sabesp. A estação, que começou em 23 de setembro, terminou às 2h48 da terça-feira (22). Foi também a primavera com maior volume de água acumulado desde 2009.
O manancial recebeu 527,2 milímetros de chuva no período, maior marca dos últimos seis anos. A precipitação é 100% maior que a do inverno do ano passado, quando choveram 236,1 mm, mas muito menor que a marca de sete anos atrás: 755,9 mm, em 2009.
As chuvas na primavera seguiram o ritmo de precipitações demonstrados no inverno. A estação do frio também foi a mais chuvosa desde 2009.

Compartilhar: